Deputado propõe substituição de sacolas plásticas por sacolas ecológicas

 

  Inspirado na Semana do Meio Ambiente, o deputado Eder Lourinho (PTC), protocolou, semana passada, na Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR), Projeto de Lei que propõe a substituição do uso de sacolas plásticas por sacolas ecológicas. De acordo com o projeto, sacola ecológica é aquela confeccionada em material oxi-biodegradavel ou a sacola do tipo retornável, cujos resíduos finais não são prejudiciais ao meio ambiente.

A substituição de uso das sacolas acontecerá nos estabelecimentos comerciais e supermercados do estado com distribuição gratuita, mas os empresários poderão inserir um valor máximo de R$ 0,15 (quinze centavos) para as sacolas retornáveis. “Tenho certeza que aos poucos a população e as empresas irão se conscientizar e começar a praticar esta ideia. Pois além de contribuir com o ambiente, é uma medida que beneficiará principalmente a nós e as futuras gerações”, assegurou

A preocupação do parlamentar é com a quantidade de sacolas plásticas distribuídas todos os dias nos estabelecimentos comerciais em todo o país, o que causa um grande impacto no meio ambiente, uma vez que grande parte delas se converte em resíduos que acabam poluindo os locais onde são descartadas. “Essas sacolas são reutilizadas como forma de guardar lixo doméstico e outros fins, mas o ciclo de vida delas, descartadas erroneamente, pode levar até 300 anos para se degradarem, causando assim um grande impacto ao meio ambiente”, explicou.

O deputado lembrou que algumas medidas já são adotadas no Brasil desde 2008, com leis sendo sancionadas individualmente em cada estado. Ele citou ainda a campanha coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente desde de junho de 2009 com intuito de reduzir o uso de sacolas plásticas. Com o slogan “Saco é um saco”, a iniciativa já ajudou a evitar a circulação de 800 milhões de sacos plásticos no Brasil, de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente. “A discussão no Brasil sobre o assunto pode ser recente, mas em outros países é possível encontrar iniciativas com pelo menos 10 anos de efetivação”, concluiu.

Assessoria de Comunicação e Marketing