Maia diz que Câmara também deve derrubar decreto de armas

A votação no plenário, que pode causar uma nova derrota para o governo, pode ocorrer esta semana.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, nesta segunda-feira (24), que os deputados devem seguir a votação do Senado Federal e derrubar de vez o decreto do presidente da República, Jair Bolsonaro, que flexibiliza o porte de armas.

Maia afirmou que quer elaborar projetos de lei sobre temas específicos do decreto junto ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Os pontos que podem ser contemplados por lei são a flexibilização para CACs (caçadores, atiradores e colecionadores) e a posse de arma em toda a propriedade rural, não apenas na sede, informa o site UOL.

O principal argumento dos parlamentares contra o decreto é que Bolsonaro feriu as normas ao legislar pontos que devem ser tratados pelo Congresso.

Maia declarou:

“Depois da decisão do Senado de derrubar o decreto de armas, na minha opinião, esse pode ser o caminho da Câmara. Mas nós entendemos que alguns pontos precisam ser trados por lei. O Senado deve ter essa iniciativa essa semana.”
E acrescentou:
“Esses dois temas são temas que tem certo consenso para podermos avançar. O Senado organizando essa votação, a gente organiza a questão do decreto. Para que a gente possa atender, dentro do decreto, o que é constitucional e que fique claro que tudo aquilo que não é constitucional, não é nem correto que o Parlamento aceite.”

Fonte:O Painel