Moro diz que invasão criminosa do celular dos procuradores é ‘grave’

“Fato grave é a invasão criminosa do celular dos procuradores”, afirmou Moro no dia seguinte ao vazamento de supostas mensagens hackeadas.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou, nesta segunda-feira (10), que não viu “nada demais” nas supostas mensagens entre ele e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, obtidas através da ação de criminosos cibernéticos.

O conteúdo foi divulgado pelo site The Intercept, neste domingo (9), e mostra que os dois conversavam quando integravam a força-tarefa da Operação Lava Jato.Em conversa com jornalistas após evento em Manaus, segundo a Folha, Moro declarou:

“Não tem nenhuma orientação nas minhas mensagens. Fato grave é a invasão criminosa do celular dos procuradores.”

Questionado se ele orientou a ação do Ministério Público Federal durante a Lava Jato, Moro respondeu:

“Não tem nenhuma orientação ali. Aquelas, eu nem posso dizer que são autênticas, porque são coisas que aconteceram, se aconteceram, anos atrás. Não tenho mais essas mensagens, não guardo mais registro disso.”

Antes de encerrar a coletiva de imprensa, dizendo que o motivo da visita à capital do Amazonas é a questão carcerária, Moro concluiu:

“O juiz conversa com procuradores, o juiz conversa com advogados, o juiz conversa com policiais, isso é normal.”

Fonte:Renova