MPRR realiza Colóquio sobre Refúgio e Migração

O Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), realizou na manhã desta terça-feira, 25 de junho, o “Colóquio sobre Refúgio e Migração”.

Em alusão ao Dia do Refugiado (20/06) e Dia do Imigrante (25/06), a atividade teve o objetivo de trocar conhecimentos, experiências e avaliar impacto e pontos de vista sobre o tema em Roraima,  sendo que o Estado é destino de muitos venezuelanos que buscam fugir da crise no país vizinho.

O evento contou com a participação do Coordenador Operacional Adjunto da Operação Acolhida, Coronel Georges Feres Kanaan, da representante do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados – ACNUR, Tânia Dias, da jornalista Érica Figueredo (Rede Amazônica), do Padre Jesuíta e Assessor da Pastoral Universitária da Diocese Roraima, Antônio Ronilson Braga de Souza e do Promotor de Justiça do MPRR e Grupo de Atuação Especial de Minorias e Direitos Humanos GAEMI-DH, André Paulo dos Santos Pereira. As discussões foram mediadas pelo Promotor de Justiça e coordenador do Ceaf, Márcio Rosa.

Todos os convidados explanaram sobre suas atuações dentro da temática e, ao final, o público presente, formado pela sociedade civil, representantes de instituições governamentais, Membros e servidores do MPRR, teve a oportunidade de fazer questionamentos e apontamentos sobre o assunto.

O Coordenador Operacional Adjunto da Operação Acolhida explicou que até o momento mais de 12 mil venezuelanos foram interiorizados para outros estados brasileiros e que esse debate ajuda a elucidar de maneira eficiente as dúvidas sobre a migração.

“Atualmente também estamos buscando informações concretas, junto à Prefeitura de Boa Vista e o Estado, sobre o sobre o impacto nas áreas de saúde, segurança e educação para que possamos, inclusive, tentar buscar soluções em nível Federal”, destacou o Coronel Kanaan.

Segundo a representante da ACNUR, a intenção da Organização é continuar na construção de um caminho, por meio de parcerias e colaboração de diversas instituições, para minimizar os impactos da crise na Venezuela tanto para população acolhida em Roraima quanto para a população local. “Todos os países que foram afetados por essa crise têm compartilhado as experiências e o Brasil está se destacando como país que tem apresentado as melhores práticas”, ressaltou Tânia Dias.

Para o Promotor de Justiça Márcio Rosa, o evento atingiu o objetivo. “A gente pôde ouvir o que está sendo feito, além de termos um diagnóstico da situação no Estado. Tivemos acesso a informações relevantes sobre o cenário atual, podemos ainda não saber como será o futuro, mas o que fica claro é que há muita disposição em ajudar”, finalizou o coordenador do Ceaf.

 

Assessoria de Comunicação Social