STF quer apuração da legalidade de investigação contra Gilmar

STF entrou em ação após Gilmar comunicar a Toffoli que estaria sendo investigado pela Receita Federal.

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, pediu que a Receita Federal e a Procuradoria-Geral da República (PGR) apurem se houve irregularidades numa investigação contra o ministro Gilmar Mendes.

Nesta sexta-feira (8), Toffoli enviou ofícios pedindo providências ao ministro da Fazenda, Paulo Guedes, ao secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, e à procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

 

“Solicito que sejam adotadas as providências cabíveis quanto aos fatos narrados pelo ministro Gilmar Mendes (…) consistentes na prática de atos ilícitos e respectivos responsável, os quais merecem a devida apuração.”

Gilmar disse acreditar que a apuração se daria de forma irregular, por envolver questões criminais que não seriam de atribuição do fisco.

Na manhã de hoje, ele havia pedido para Toffoli adotar “providências urgentes” sobre uma investigação da Receita Federal contra ele.

Como você viu na RENOVA, a Receita tem aberta uma investigação sobre o patrimônio do ministro Gilmar e da sua esposa Guiomar.

A Receita Federal abriu um trabalho para identificar “focos de corrupção, lavagem de dinheiro, ocultação de patrimônio ou tráfico de influência” do ministro Gilmar Mendes e de sua mulher Guiomar.

Patrimônio do ministro Gilmar Mendes sob investigação da Receita 

O relatório, de maio de 2018, aponta uma variação patrimonial sem explicação de R$ 696.396,00 do ministro Gilmar Mendes em 2015.

Fonte- Renova Mídia