Covid-19 Apenas 51% respeitam isolamento social em Roraima

As equipes da Guarda estão diariamente nas ruas fiscalizando, orientando e notificando aqueles que não respeitam os decretos municipais

Imagem: Alex de Jesus/O Tempo/Estadão Conteúdo

Mesmo com mais de 1.870 casos confirmados de coronavírus em Roraima, o isolamento social, considerado a estratégia mais eficaz para tentar conter o avanço da pandemia, não tem sido respeitado por quase a metade da população. O estado tem apenas 51,41% de adesão, de acordo com o Índice de Isolamento Social publicado pelo site Inloco nesse domingo, 17. 

Em Boa Vista, as equipes da Guarda Civil Municipal estão diariamente nas ruas fiscalizando, orientando e notificando aqueles que não respeitam os decretos municipais que tratam do isolamento social. Somente entre os dias 23 de março e 12 de maio, a GCM notificou e orientou cerca de 1.300 pessoas pelo desrespeito às regras da quarentena na capital. 

De acordo com o secretário municipal de Segurança Urbana e Trânsito, Raimundo Barros, além de não cumprirem o isolamento, algumas pessoas não fazem o uso da máscara, outra medida importante de prevenção à doença.

“Presenciamos diariamente pessoas sem máscara, algumas praticando esporte nas praças. No comércio, a grande maioria não está obedecendo, mesmo aqueles que devem atuar de acordo com as recomendações, principalmente com relação a aglomeração. Por isso, o trabalho tem sido intensificado”, destacou o secretário de segurança Raimundo Barros.

Medidas – Os decretos municipais que tratam do isolamento social estão mantidos e respaldados pelas recomendações do Ministério Público do Estado de Roraima (MPRR), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPR), além de seguirem diretrizes do Ministério da Saúde (MS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS).

As medidas para reduzir aglomerações foram adotadas antes de serem registrados os primeiros casos de covid-19 em Roraima, como a suspensão de aulas, regulamentação do funcionamento do comércio durante a pandemia, suspensão de shows e eventos culturais e redução da frota de ônibus. Além de estabelecer regras para o transporte de passageiros, interditou praias, suspendeu atividades em igrejas e templos religiosos, distribuiu máscaras, entre outras medidas.

As medidas visam evitar o colapso no sistema de saúde do Estado, que já é fragilizado. É importante que a população entenda a gravidade desta doença e da necessidade de se manter a curva como está.

Os passageiros e motoristas de ônibus e táxi-lotação estão sendo orientados sobre a prevenção ao novo coronavírus, as ações acontecem todos os dias nos terminais de ônibus José Campanha Wanderley e Luiz Canuto Chaves, no Centro da cidade.

Em frente às agências bancárias e casas lotéricas as equipes também estão realizando ações que dão continuidade ao trabalho de sensibilização e conscientização da prefeitura quanto à importância do uso das máscaras e do distanciamento social.

Mais de 200 mil máscaras reutilizáveis estão sendo entregues para os moradores da capital. O material será entregue nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), Hospital da Criança Santo Antônio, Palácio 9 de Julho (prefeitura) e no Terminal de Ônibus Urbano José Campanha Wanderley

fonte: semuc