EM BOA VISTA E RORAINÓPOLIS Aderr registra 14 novas Unidades de Produção

Após registro, o plantio da Unidade de Produção passa a ter certificação fitossanitária de origem, permitindo a comercialização dos frutos para todo Brasil

A Aderr (Agência de Defesa Agropecuária) inscreveu 14 novas Unidades de Produção de manga, goiaba e laranja em Roraima. Destas, 11 são em Boa Vista e três em Rorainópolis. Com o registro junto ao órgão, os produtores dessas localidades agora possuem certificação fitossanitária de origem, que permite que os frutos produzidos possam ser comercializados em todo o Brasil.

Com as 14 novas inscrições, Roraima agora conta com 52 Unidades de Produção. Os plantios são diversificados, além de frutas como laranja, limão tahiti, tangerina, manga, goiaba e tomate, também produzem pimenta de cheiro e pimenta murupi. Somadas, as Unidades chegam a 268,56 hectares de área plantada, com produção estimada em 6.918 toneladas.

Esses plantios, quando acompanhados pelo responsável técnico e obedecendo as exigências da legislação em relação as pragas quarentenárias, pode comercializar sua produção em todo o Brasil. Para registrar uma Unidade de Produção, o produtor interessado deve contratar um responsável técnico habilitado pela Aderr. Esse profissional cuidará de todos processo de inscrição desse plantio, bem como acompanhamento das práticas culturais, monitoramento e controle de pragas. Podendo dessa forma atestar a origem e sanidade da produção por meio da emissão do certificado fitossanitário de origem.

Segundo explicou o chefe da Diretoria de Defesa Vegetal da Aderr, Marcelo Parisi, as fiscalizações nessas Unidades de Produção são realizadas pelo núcleo de Certificação Fitossanitária de Origem de forma permanente.  A supervisão constante compreende às ações dos responsáveis técnicos no cumprimento da Lei Estadual de Vegetal e das Instruções Normativas do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

“As fiscalizações são direcionadas ao combate das pragas quarentenárias como a mosca da carambola, cancro cítrico e ácaro hindustanicus variando conforme o produto certificado. Isso tudo para garantir uma produção de qualidade para que Roraima continue com uma agricultura pujante, e as pessoas possam consumir alimento saudável”, destacou Parisi.

As Unidades de Produção e Consolidação são consideradas aptas somente após atendidos os requisitos legais e conferidos pela fiscalização oficial, conforme informou o chefe do Núcleo de Certificação Sanitária, Marcos Evangelista. “Dessa forma o produtor pode comercializar sua produção para todo o Brasil. Contudo, devido à grande demanda do Amazonas essa produção acabada ficando no Estado vizinho”, disse.

UNIDADES DE CONSOLIDAÇÃO – Roraima também possui sete Unidades de Consolidação ativas, destinadas ao beneficiamento e tratamento dos frutos produzidos nas Unidades de Produção. Um conglomerado de partidas proveniente de lotes certificados, envolvendo produtores dos municípios de Boa Vista, Mucajaí Caracaraí, São Luiz do Anauá e Rorainópolis.

ELIAS VENÂNCIO
Foto: Ascom Aderr