Milho: veja os fatores que devem mexer com o mercado nesta semana

A estiagem severa em áreas produtoras do Sul segue no radar do mercado e começa a levantar questionamentos sobre o abastecimento

O mercado de milho ainda monitora os impactos causados pela seca em algumas áreas do Sul do Brasil. Entre os gargalos está o abastecimento do grão, que tente a pressionar os valores no mercado interno.  O clima também atua como fator importante para formação de preço no mercado internacional.

Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de milho na próxima semana. As dicas são do analista da Safras Consultoria, Paulo Molinari.

No mercado doméstico, os problemas de abastecimento de milho se acentuam na primeira quinzena de janeiro;

– O clima produziu grande impacto na safra de milho da região Sul. De acordo com projeção da Safras & Mercado, serão produzidas em torno de 10,51 milhões de toneladas;

– Os preços já ultrapassaram R$ 100/sc em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e em São Paulo;

– Os problemas tendem a se acentuar de acordo com o avanço da colheita de soja, encarecendo o custo de frete;

– O abastecimento de milho só será resolvido com a entrada da safrinha que se depara com uma boa janela de plantio neste momento;

– No mercado internacional, o foco no clima na América do Sul permanece relevante, com bom volume de chuvas previsto para a Argentina na próxima semana;

– A movimentação do mercado de trigo também é importante, repercutindo sobre a evolução do milho na Bolsa de Chicago;

– Os números relacionados à exportação semanal de milho também são um indicador importante para nortear o mercado no curto prazo;

– O movimento dos preços do petróleo também é um fator importante motivando o consumo de biocombustíveis, incluindo o etanol.

Fonte:Canal Rural