Paredes do olho do furacão Iota, de categoria 5, atingem a Nicarágua

Meteorologistas alertam para ventos devastadores, chuvas torrenciais e formação de ondas de até 6 metros. Furacão pode se dissipar amanhã

As paredes do olho do furacão Iota, de categoria 5, com ventos de 260 quilômetros por hora, já estão sobre a Nicarágua, e os meteorologistas alertam para ventos devastadores, chuvas torrenciais e formação de ondas de até 6 metros.

O Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) informou em boletim que o Iota está localizado a 55 quilômetros de Puerto Cabezas, na Nicarágua, e a 165 quilômetros de Cabo de Gracias, na fronteira do país com Honduras.

O furacão está se deslocando para o oeste a uma velocidade de 15 quilômetros por hora e espera-se que mantenha esta direção até fazer uma curva oeste-sudoeste.

De acordo com projeções do NHC, o olho do Iota tocará terra nas próximas horas na zona de alerta de furacões do nordeste da Nicarágua e começará a se dissipar sobre a América Central na próxima quarta-feira.

Espera-se que o furacão, descrito pelo Centro como “catastrófico”, gere grandes acumulações de chuva, com o consequente risco de grandes inundações, cheias de rios e deslizamentos de terra. Meteorologistas preveem pouca mudança na intensidade do Iota até que ela toque terra e então passe por um rápido enfraquecimento à medida que se desloque para o interior. Há um aviso de furacão na costa nicaraguense.

No último dia 3, o furacão de categoria 4 Eta causou deslizamentos de terra na costa nordeste da Nicarágua, com ventos sustentados de no máximo 220 km/h.

Segundo estimativas do país centro-americano, o Eta deixou quase 1,9 mil casas destruídas e outras 8.030 com danos parciais. Até agora houve 30 tempestades tropicais, das quais 13 foram furacões e, destes, seis foram grandes. Ainda há tempo até 30 de novembro para o fim oficial da temporada de furacões no Atlântico, que este ano tem estado mais dura que o normal.

.

Da EFE