Polícia Civil treina agentes para uso de testes de identificação de Entorpecentes

A Polícia Civil de Roraima por meio do Instituto de Criminalística realizou nesta quinta-feira,16, um treinamento com agentes do SIOP (Seção de Operação e Investigação) do DENARC (Departamento de Narcóticos) e da DRE (Delegacia de Repressão ao Entorpecente) para utilização de testes de identificação de Entorpecentes.
De acordo com o diretor do IC, Stteffani Ribeiro, esses testes foram preparados pelos peritos do laboratório de Química Forense do Instituto. Explica que o objetivo do treinamento foi capacitar os policiais para o utilizar os kits de forma adequada.
“Os agentes foram treinados a utilizar os kits de identificação de entorpecentes com mais precisão. Além disso, eles foram capacitados a emitir exame químico preliminar para auxiliar no APF (Auto de Prisão em Flagrante) ou TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência).
Ainda segundo o diretor, os kits são compostos por reagentes químicos que agem colorimétricamente, quando em contato com a substância entorpecente. Esse método é eficiente, simples, de baixo custo e de alta rapidez.
“A partir das cores revela-se se a substância é ou não proscrita, como cocaína e maconha por exemplo. Inclusive cocaína na forma líquida. Com esse resultado preliminar adianta-se o trabalho na Delegacia, e em seguida o material apreendido segue para análise final no IC, onde será elaborado um laudo definitivo do material apreendido”, disse Ribeiro.
De acordo com a diretora do DENARC, delegada Darlinda Moura, esses kits são de extrema importância para a investigação que envolva entorpecentes já que é extremamente preciso para elaboração de laudo preliminar, facilitando a identificação do material entorpecente numa abordagem ou em operações policiais.
“Com esses kits poderemos deslocar uma equipe para um local de apreensão de drogas ou um local em que tenha sido cumprido mandados de busca e apreensão e o agente levará consigo os kits de identificação de entorpecentes in loco, e no momento do cumprimento do mandado poderá de imediato afirmar se aquela substância é ou não, algum tipo de droga, o que é de suma importância para o auto de prisão em flagrante”, concluiu a delegada.
SECOM RORAIMA