Governo mantém concurso da Setrabes e PMRR

Para realizar outros concursos é necessário que o Estado se adeque à Lei de Responsabilidade Fiscal

Em coletiva realizada na noite desta quinta-feira, dia 7, o governador Antonio Denarium anunciou que os concursos da Setrabes (Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social) e da PMRR (Polícia Militar de Roraima) serão mantidos.

“A decisão de manter ou suspender os concursos que estão em andamento é difícil, pois sabemos da necessidade de efetivo, principalmente na área de segurança, porém, no momento o Estado não possui recursos para fechar as contas mensais da máquina pública. Antes de realizar os concursos, o Estado deve estar enquadrado na Lei de Responsabilidade Fiscal, e as medidas para que isso ocorra estão em andamento”, esclareceu o governador.

Conforme Denarium o concurso da Setrabes foi mantido, já que todas as etapas das provas foram concluídas. “Os aprovados serão chamados conforme a disponibilidade de recurso”, complementou.A primeira etapa do concurso da PMRR foi realizada, porém as próximas fases serão prorrogadas, conforme ajustes e prazos legais.

Emile Caroline, que prestou o concurso da PMRR disse que só o fato das etapas serem prorrogadas já trazem uma sensação de felicidade. “Eu me preparei um ano e meio para esse concurso, investi tempo e dinheiro. Só quem lutou, quem batalhou e esteve aqui nas manifestações sabe como essa notícia nos deixou felizes. Não queríamos o cancelamento do concurso, foi muito tempo de dedicação nos estudos em busca de melhoria profissional”, disse.

Todas as medidas para manter ou cancelar os certames foram analisadas pelo Gabinete de Crise, que dialogou com os Poderes e deputados estaduais em busca de uma solução que não prejudicasse os concurseiros.

Para o concurso da Polícia Civil, o governo vai entrar com uma ação por meio da PGE (Procuradoria Geral do Estado) solicitando revisão da decisão que garante a realização do certame, já que a recomendação foi feita antes da atual crise financeira do Estado, dependendo do entendimento da Justiça, o cancelamento ou suspensão do concurso.

Quanto ao concurso da Sejuc (Secretaria de Justiça e Cidadania), Denarium explicou que ainda não há um edital, e até que o governo equilibre as contas públicas, não tem possibilidade de realizar um certame para área.

O presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier, participou da coletiva e reforçou que está à disposição para somar com o governo em busca de melhorar a situação financeira do Executivo. “A Assembleia vai ajudar o governo a tornar o sonho desses concurseiros uma realidade. Para que isso aconteça, a Casa Legislativa também vai reduzir custos e adequar as contas”, anunciou.

Por NEUZELIR MOREIRA

Foto: Fernando Oliveira