Paulinho da Força quer cassar o mandato do deputado Soldado Sampaio por quebra de decoro

As agressões ao presidente da Assembleia Legislativa, Jalser Renier (Solidariedades), rendeu ao deputado Soldado Sampaio (PC do B) – líder do Governo – um pedido de cassação de mandato por quebra de decoro parlamentar.

A ação é assinada pelo deputado federal paulista Paulo Pereira da Silva, conhecido pela alcunha de Paulinho da Força, presidente nacional do Partido solidariedade, o mesmo que abriga Jalser Renier no Estado.

Essa cizânia que opõe Jalser e Sampaio é resultado de uma desavença irrelevante ocorrida na sessão do dia 22 de outubro, escorregando para algo mais hostil e invasivo no dia seguinte. Na sessão dia 23, inesperadamente, sem sintomas de véspera, Sampaio foi a tribuna da Casa e afrontou Jalser com uma série de insultos.

“Jalser, tu és bandido, tu és chefe de quadrilha, você é ladrão do dinheiro público”, foram os adjetivos utilizados pelo líder do Governo para atacar o presidente da Assembleia.

Na representação que encaminhou ao Poder Legislativo, Paulinho da Força pede a cassação do mandato de Sampaio ou uma suspensão de pelo menos 60 dias. A Executiva Nacional do Solidariedades, presidido por Paulino narra que a conduta de Sampaio, durante sessão do dia 23 de outubro, configurou abuso de prerrogativas e ultrapassou a linha divisória entre o debate político e a violência moral.

A representação afirma que crimes contra honras são repugnantes e o tom sensacionalista do deputado foi ‘vulgar e visceral’, com propósito de denegrir a imagem de Renier.

O representado imputou crime ao deputado Jalser, injuriando-o, difamando-o e caluniando-o de forma sumária, fato que jamais poderia ser mantido sob o princípio da liberdade de expressão, ou mesmo das imunidades parlamentares. [As imunidades] não podem servir de escudo para violação de outros direitos igualmente constitucionais, como a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas”, diz o documento.
Sampaio, no dia da sessão. “Só falei a verdade”.

Sampaio confessa tranquilidade | Evidente que esse novo capítulo na barulhenta novela que contrapõe Sampaio e Jalser, terá desdobramentos.

Sampaio corre o sério risco de perder o mandato, mas cuidou de tranquilizar seus eleitores e seguidores, que vai responder a representação sem temor.

Sampaio disse ao Blog e em entrevistas no decorrer do dia, que não teme perder o mandato e ponderou que foi eleito legitimamente pelo povo. “Se falar a verdade é quebra de decoro, então serei condenado por falar a verdade”.

– Não estou preocupado com perda de mandato, até porque estou deputado, não dependo de ser deputado para sobreviver. Mantenho meu padrão de vida como mantive por muito tempo como soldado da Polícia Militar.

Paulinho é investigado por formação de quadrilha.

Quebra de decoro evidente | Na representação contra Sampaio, o deputado Paulinho da Força afirma que a quebra de decoro parlamentar é evidente, “já que a postura do parlamentar está além do que é aceitável escutar dentro do parlamento”, diz.

O presidente nacional do partido ainda sustenta que o discurso proferido configura perda de mandato.

“A conduta encontra-se fulcrada no Código de Ética entre aquelas que acarretarão a perda do mandato. Na transcrição das palavras do deputado, fica nítida a vontade simples e pura de ofender em caráter pessoal a reputação do deputado Jalser Renier”.

O Paulinho da Força que acusa Sampaio é o mesmo que tem se destacado no noticiário nacional por seu envolvimento em condutas vedadas. Já foi alvo de diversas operações da Polícia Federal por crimes de corrupção.

Virou réu inclusive por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Mesmo diante de tantas acusações contra ele, Paulinho conseguiu se reeleger deputado na eleição passada.

Por Blog do Expedito Peronnico

Fonte:O PAINEL