Montana Calidad seleciona fêmeas para emprenhar aos 14 meses de idade

Entre 30 de julho e 7 de agosto, propriedade apresentará resultados do programa de seleção e venderá reprodutores e fêmeas Montana.

A precocidade sexual e o acabamento da raça Montana são duas características que motivam o trabalho do Montana Calidad, que conta com mais de 800 animais em duas fazendas, em Anastácio e Terenos, em Mato Grosso do Sul. O projeto começou há cerca de uma década, com 600 animais Montana, e tem se desenvolvido com o aprimoramento genético do rebanho.

“Participamos do Programa Montana para fortalecer essa excelente opção genética e ter animais com as qualidades dos taurinos, porém que podem ser criados nas mesmas condições dos zebuínos. Fazer melhoramento genético é trabalhoso, mas a cada meta alcançada damos um passo à frente em termos de melhoria de carcaça, precocidade sexual, acabamento e na rusticidade”, conta o administrador da Montana Calidad, Geraldo Paiva.

Paiva explica que todas as melhorias genéticas, safra após safra, foram implantadas com o auxílio de métodos científicos. “É possível dizer que nossas expectativas estão sendo confirmadas, tanto pelos resultados nos abates próprios quanto pela fidelidade de nossos clientes”. A meta do Montana Calidad para 2020 é vender 180 reprodutores, tanto nos leilões como nas vendas particulares.

A raça Montana é brasileira e começou seus trabalhos de seleção no início da década de 1990 e proporciona alto índice de heterose, resultado do cruzamento de raças taurinas, zebuínas e adaptadas. Essa combinação de sangue possibilita alta produtividade e adaptação ao clima tropical. A precocidade é uma característica importante do Montana: tanto machos quanto fêmeas são submetidos à reprodução aos 14 meses de idade.

A definição do potencial dos animais Montana é obtida pelo Índice Montana e do CEIP (segundo o qual só os 26% melhores da raça obtêm o certificado), uma fórmula matemática que leva em conta características de real valor econômico. “Com essa base de avaliação e com foco no que buscam nossos clientes, conseguimos melhor confiança e remuneração nas vendas feitas na fazenda ou em eventos”, diz Paiva.

O Montana Calidad também investe na seleção de doadoras, a partir de cinco critérios: ter a primeira cria antes dos 24 meses de idade, ser uma das líderes na avaliação de carcaça de sua safra, estar entre as top 1% nas avaliações de carcaça por ultrassom de sua safra, possuir Índice Montana superior a 10 e estar inserida em uma família consistente”, pontua o administrador.

As fêmeas do Montana Calidad devem emprenhar entre 11 e 14 meses de vida. As que falham nesse quesito são descartadas e encaminhadas para abate do programa 1953, da JBS, proporcionando carne de alta qualidade e melhor remuneração ao produtor. “Como muitas novilhas estão se habilitando a ingressar no nosso grupo de doadoras, passamos a exigir na avaliação que somente ficarão as filhas de touros que tenham produzido sêmen antes de 11 meses de idade”, informa Geraldo Paiva.

“Como próximos passos, queremos confirmar a herdabilidade da eficiência alimentar, característica de animais que consomem menos e têm aproveitamento melhor do alimento. A partir disso, pretendemos investir em genômica, aumentando ainda mais a acurácia dos dados das principais características zootécnicas que desejamos”, salienta Paiva. “Além disso, pensamos em atuar mais fortemente na venda de fêmeas”.

O Montana Calidad é associado do Programa Montana, iniciativa de um grupo de criadores da raça envolvidos na produção, seleção e melhoramento genético de reprodutores compostos com foco na qualidade da carne e ganho de peso.

“A pecuária e o mercado em si mudaram muito nos últimos anos. Os criadores já conhecem e reconhecem as características produtivas e reprodutivas dos touros Montana, que proporcionam heterose sustentável, além de ganhos indiscutíveis safra após safra. Essa genética diferenciada está acessível a pecuaristas de todo o país”, ressalta Gabriela Giacomini, gerente de operações do Programa Montana.

Após 26 anos, Programa Montana já forneceu ao mercado brasileiro cerca de 17.5 mil touros com CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção), chancela do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que reconhece a capacidade genética e valoriza as características econômicas exigidas pela pecuária brasileira.

Semana Montana Calidad – A pandemia não tem prejudicado os negócios do Montana Calidad. Um terço dos reprodutores colocados à venda em 2020 já foram comercializados e eventos comerciais já estão programados para os próximos meses. Um deles é a Semana Montana Calidad, entre 30 de julho e 7 de agosto, com transmissão pelo Canal do Boi.

“Será uma semana de apresentação dos resultados do nosso programa de seleção, com a comercialização de animais. Ofertaremos o que de melhor produzimos na safra. Serão colocados à venda os melhores touros Montana e um pequeno núcleo de novilhas”, informa Geraldo Paiva.

Fonte:Texto Assessoria